terça-feira, 15 de outubro de 2013

Livro Novo: Nanowrimo


Acabo de me inscrever no Nanowrimo. Sim, a partir de 1 de novembro terei (teremos, são vários ao redor do mundo) um mês para escrever um romance de 50.000 palavras. Hoje, portanto, é um dia histórico. Claro que pensei em desculpas do tipo “não vai dar tempo/não vou conseguir escrever as 50.000 palavras”, mas não tenho nada a perder, não é mesmo? Aliás, em dezembro teremos algumas respostas literárias, de um concurso e de uma editora, e não imagino melhor forma de esperar do que escrevendo.

Sobre o que vai ser meu romance, provisoriamente chamado de Livro Novo? Não sei. Um narrador a procura de uma história, e espero encontrá-la antes do fim. Hoje reli uns trechos do megaclássico Oficina de Escritores onde diz que não tem problema a gente não saber nada da história nem dos personagens, desde que a gente comece a escrever agora mesmo – e a história vai contar a si mesma. Parece uma doideira, mas tem um monte de gente que faz isso. E daqui a duas semanas, e por todo mês de novembro (outono no hemisfério norte; bem que podia ser outono aqui também, para dar um clima), milhares de pessoas ao redor do mundo estarão correndo a mesma corrida que eu, tomando muito café e dormindo pouco, atucanadíssimos para cruzar a linha de chegada das 50.000 palavras até a meia-noite de 30 de novembro. Combinei com alguns malucos de fazerem essa travessia, e espero que eles não me deixem na mão. Sei que a ideia é quantidade, não qualidade, e que a esmagadora maioria dos livros escritos são ruins. Mas não importa. Deve ser um exercício e tanto, especialmente porque nos obriga a exercitar a disciplina, a perseverança, e escrever sem nosso censor interno, sem se questionar se está bom ou não, original ou não, clichê ou não. Simplesmente escrever. Até os dedos quebrarem.

Até o parágrafo acima, foram apenas 305 palavras. Para escrever 50.000 palavras em um mês, temos que escrever 1666 palavras por dia, religiosamente todo dia. Sentiu a bronca? Mas a Sara Farinha disse que dá para escrever 50.000 palavras sem muita dor. O Diego, do Ficção em Tópicos, também conseguiu vencer o desafio, e ainda escreveu um diário de bordo muito massa da aventura. São quase 3 folhas de word por dia, fiz as contas agora. Me cansa só de pensar.

Mas se não conseguir cruzar o oceano, pelo menos vou morrer nadando. 

11 comentários:

  1. Que legal! Torço para que seja uma rica experiência para você. Eu já pratico esse tipo de escrita 'livre' há algum tempo e ajuda muito a soltar a mão e os pensamentos, mas não é muito boa na hora de concatenar as coisas. Tenho um monte de escritos do tipo que precisam ser editados primeiro antes de sequer pensar em publicá-los. Pude aproveitar muitos trechos já em outros escritos já publicados, mas a maioria segue na gaveta, aguardando sua vez. Topei como desafio pessoal, pois disciplina eu já tenho, um pouquinho, e quantidade não é problema para mim, problema é manter-me concentrada nas histórias. Vou postar o diário da minha experiência lá no Bluemaedel. Já o texto final... vamos aguardar! Sim, estou contigo, embora não no site oficial. Grande abraço e obrigada por compartilhar a idéia e o convite. Fui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena.

      Pois é, recebi um e-mail deles cujo remetente era "Your Novel" e o assunto era "Please write me this November". Eu também escrevo com o que se chama de "free writing", a maioria dos posts deste blog nascem assim. Mas tenho pensado que isso que chamamos de treinamento pode ser a literatura em si, também. Claro que é mais fácil simplesmente pensar em voz alta através do teclado, mas acho que se a gente treinar (e aí entra o Nanowrimo), dá pra fazer isso com a narrativa.

      Eu não tenho a menor ideia do que vou escrever..:) Mas vou escrever. Vou confiar no processo, nem que tenha que escrever um livro horrendo para depois escrever um bom livro. Eles dizem que um dos motivos desse desafio é justamente escrever sem se preocupar se está uma porcaria, mas continuar escrevendo, e daí podem nascer coisas boas.

      Legal a ideia do diário de bordo. Posso pegar emprestada? :)

      Vamos lá, não desista - preciso de mais gente nessa doideira para me ajudar a atravessar Novembro, e que também não me deixe desistir.

      Abraços, com novembro se aproximando no horizonte...

      Excluir
    2. PS - Ah, não entendi. Como "não está no site oficial"?

      Excluir
    3. Pois é, Daniel, vou assumir o compromisso de escrever todos os dias e tentar, entre 1° de novembro e 1° de dezembro, escrever as 50.000 palavras, a experiência (breve) de cada dia é o que pretendo registrar lá no blog. Será que eu não posso fazer isso? Será que vão dizer que estou roubando a idéia deles? Não, porque muita gente até já faz isso, só que dá outro nome e eu não quero submeter o texto em lugar algum, vai que fica muito pessoal e revelador, eu hein?! he he he... Já viu que com esse pensamento 'preso' dificilmente serei a escritora que almejo, ou pior: já cheguei no meu melhor. Cruzes!! Melhor parar por aqui. Viu no que dá esse negócio de escrita livre? He he he. Vá lá, mesmo que ninguém o acompanhe. Eu tenho uma criança que não me dá folga para escrever, conheço bem minha 'situação'. Grande abraço, vamos nos falando, ok?

      Excluir
    4. Legal. A coisa mais significativa que li hoje foi uma das participantes do Nano relatar que conhece gente que teve a ideia meia hora antes da meia-noite de 1 de novembro... e conseguiu vencer. Sinal de que tudo é possível. (Não sei se é coincidência, mas enquanto escrevia isso, vi fogos de artifício se espalhando pelo céu negro além da janela. Deve ser um sinal. Aliás, aí está uma bela cena de abertura - se bem que já iniciei o um pouco eterno livro com essa cena. Mas who knows?)

      Excluir
  2. Que legal é isso aí!

    ResponderExcluir
  3. Aceito o desafio, vá em frente, com muita fé e coragem. Foco no objetivo e ele será alcançado. Capacidade não te falta, meu escritor preferido. Love You!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito thanx. "Foco no objetivo e ele será alcançado". Vou tentar me lembrar disso...:) Kisses 4 U!

      Excluir
  4. Inscrito no Nano! Mas tem uma extensa orientação em inglês e meu inglês não é de extensas coisas. E a preguiça é grande, ler orientações me dá preguiça, manual, qualquer coisa desse tipo. Basicamente precios escrever e jogar lá, salvar na minha conta? Explique-me
    Vammosvernoquevaidar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que show. Tem uma comunidade no face que é do pessoal do Brasil que vai fazer o Nano (te mandei o link). Mas basicamente é isto: escrever e jogar lá. Tu vai ver que depois que começar, a cada segundo a contagem aumenta no site, porque as pessoas ao redor do mundo vão jogando as palavras ali sem parar. Sim, também tenho preguiça, medo do fracasso, todas essas coisas que milhares têm. Mas a filosofia do vamosvernoquevaidar! nesse momento é nossa melhor amiga. Na pior das hipóteses, vamos escrever, e isso só já vale o ingresso.

      Excluir